Cinema Catarinense

Vocês sabem que aqui neste canal a nossa ideia é sempre falar sobre produção audiovisual, pois então aqui vamos nós, desta vez em uma viagem pela cultuada “sétima arte”!

“Nem só de Vingadores vive o homem!”. Sim, o cinema vai muito além dos personagens com superpoderes erguendo cidades e destruindo seres intergalácticos. Claro que este tipo de película é divertidíssimo e certamente um bom entretenimento, mas o universo cinematográfico pode ser muito mais profundo.

O cinema nos apresenta também algumas obras que determinaram movimentos, transformaram épocas, moldam comportamentos, filmes que serviram de estudo para entender os rumos que a humanidade viria a tomar. Obras que para sua análise é necessário se desprender da superfície comum e vagar numa órbita existencialista, como o cinema de Ingmar Bergman, ou saber admirar a beleza do grotesco e “realidade abstrata” de David Lynch e seu dadaísmo. Imergir na “verdade entre aspas” de Eduardo Coutinho em seus documentários. A relação da natureza e o homem com seus conflitos internos como imprime Kurosawa em suas telas. Até mesmo a poesia da violência expressada por Sam Peckinpah quando exibe o ser humano em decadência tangenciando seus aspectos mais selvagens e instintivos de sobrevivência.

Alfred Hitchcock

Alfred Hitchcock

 

David Lynch

 

Ingmar Bergman

 

Akira Kurosawa

O cinema psicológico e sua metalinguagem representando pessoas e sociedades, grupos e indivíduos e suas órbitas. Películas como O Bebe de Rosemary que agonia seu espectador com o horror de um ser que em momento algum é apresentado, Psicose de Hitchcock nos aprofunda no Complexo de Édipo, no simbolismo da mais pura psicanálise. O lúdico e fantástico 8 1/2 de Federico Fellini. O inescrutável Tarkovsky com Solares, a heautognose, seus paradoxos e reflexões. A genialidade contestadora e transgressora de Kubrick movimentando-se na simetria de seus planos em Laranja Mecânica ou na visão pessimista da evolução das máquinas sobre o homem em 2001 – Uma Odisseia no Espaço. O cinema é certamente um afluente conceitual de expressões e debates, é contestador.

Em Santa Catarina o cinema caminha revelando grandes cineastas e produzindo a cada ano um número maior de filmes. Em 2019 fruto de uma forte corrente artística e política o governo do estado lançou o Edital de Cinema Catarinense fomentando a produção de filmes, curtas, longa-metragens, documentários, ficção, animação entre outros projetos audiovisuais, distribuindo aproximadamente 20 milhões de reais em investimentos. Um verdadeiro ganho para o povo e para cultura, para profissionais altamente capacitados e iniciantes, sendo que por ano muitos profissionais do cinema são formados em diversas universidades.

O incentivo a produções cinematográficas alavanca também um autoconhecimento por parte da sociedade que se vê representada nas telas, reconhece sua identidade a partir de uma ótica local de forma artística sendo que os contemplados deste edital são diretores e produtores catarinenses.

O Festival Audiovisual Mercosul (FAM) está em sua vigésima terceira edição e este ano será realizado no mês de setembro, nos dias vinte e seis até dois de outubro. Neste festival diversos filmes de diretores catarinenses serão exibidos e vale muito prestigiar para que este universo artístico ganhe cada vez mais força, incentivando profissionais e a arte local.

Segue abaixo links do festival FAM, com programação e eventos:

http://www.famdetodos.com.br

E link de algumas universidades de cinema de Santa Catarina:

https://cinema.ufsc.br

http://www.unisul.br/wps/portal/home/ensino/graduacao/cinema-e-audiovisual

https://www.unisociesc.com.br/cursos/cinema-e-audiovisual/

Lembre-se, o cinema americano produz excelentes filmes, mas o mundo é muito maior que isso, desfrute do cinema italiano, iraniano, francês, argentino, chinês, japonês… A arte não tem fronteiras.