PREVISÕES: QUAIS SÃO AS MAIORES TENDÊNCIAS PARA O AUDIOVISUAL?

Previsões: quais são as maiores tendências para o audiovisual?

Início de ano é uma ótima oportunidade de fazer um balanço anual, aprender com os erros, pensar no que foi conquistado e projetar qual será o futuro. Em termos de tecnologia, tudo acontece tão rápido que achamos pertinente fazer um post dedicado exclusivamente para quais são as tendências do audiovisual.
Isso não significa, necessariamente, que essas pequenas revoluções irão acontecer exatamente neste ano. Mas acreditamos que serão viáveis em um futuro não muito distante.

Além disso, ficar por dentro das novidades e da evolução técnica e tecnológica como tudo que concerne o ecossistema audiovisual é importante – independente da sua área de atuação. A seguir, separamos as cinco maiores tendências das produções audiovisuais.

 

5 tendências para o futuro do audiovisual

Mais plataformas externas de vídeos

O YouTube completou 11 anos em 2016 abocanhando nada mais do que 82% dos vídeos mostrados na busca do Google. Os outros 18% estão divididos das seguintes formas: 5% Vimeo, 5% Dailymotion, 8% dividido entre todo o resto da internet.

E a tendência é que o canal continue crescendo. Principalmente, porque a tendência para 2017 é de que cada vez mais as empresas usem plataformas externas de vídeos para hospedar suas produções audiovisuais. E dentre elas, o YouTube ganha destaca, disparado.

Redes sociais investindo mais e mais em vídeos

As redes sociais estão cada dia mais investindo em vídeos. Uma das novidades do ano foi a funcionalidade Novas histórias do Instagram – que permite a divulgação de vídeos de um minuto por 24 horas. O Twitter também lançou o Twitter Video além das outras plataformas como Periscope e Vine que registram centenas de uploads mensais.

Fora isso, todas as redes sociais oferecem possibilidades pagas e orgânicas para as empresas divulgaram seus vídeos e medirem seus desempenhos.
Vídeos assistidos nos Smartphones

Que os smartphones dominaram a internet é fato. Mas resolvemos colocar como uma tendência, principalmente, porque a porcentagem de acessos mobile não para de crescer ano a ano.

Em 2017 não será diferente. Cerca de 44% das pessoas pertencentes a geração millennials consomem conteúdo através dos seus smartphones. E outros 40% utilizam apenas plataformas mobile para se informar. Cada vez que o conteúdo é direcionado para as plataformas digitais, essa porcentagem tende a aumentar.

 

 

Vídeos para educar e treinar

Essa tendência também não pode ser considerada como nova e não sair da lista tão cedo. Nos EUA, dois terços das instituições de ensino superior utilizam vídeos para educação a distância. Isso acontece porque através de produções audiovisuais, as empresas conseguem treinar uma quantidade potencialmente ilimitada de pessoas com facilidade e redução de custos.

Vídeos são ferramentas poderosas para ensinar e engajar com o público. Por causa disso, plataformas como o TED e canais no YouTube estão ganhando cada dia mais e mais notoriedade. E as grandes instituições de ensino, incluindo a Harvard, estão aderindo a essa ideia.

Em contrapartida, quando pensamos em empresas privadas, os vídeos podem ser usados tanto para treinar novos colaboradores, como também para mostrar aos usuários (através do Youtube ou outras redes sociais) tutoriais e/ou reviews sobre seus produtos, softwares ou soluções. Produzir conteúdo que ajude os clientes a resolverem seus problemas diariamente é uma ótima oportunidade de aproximação.

Para finalizar, vamos falar sobre uma última tendência: vídeos cada vez mais curtos. Segundo pesquisas, em 15 anos a capacidade dos seres humanos se concentrarem completamente em algo caiu de 12 segundos para 8,25 segundos. Ou seja, hoje em dia, prestamos menos atenção do que um peixe dourado. Os anúncios do YouTube já duram entre 10 segundos a no máximo dois minutos.

Esperamos que esse conteúdo tenha sido útil para você se atualizar sobre as novas tendências. O que acha de compartilhar com seus amigos nas redes sociais?