KOMODO ABRAÇA A CAMPANHA 8 JEITOS DE MUDAR O MUNDO

KOMODO ABRAÇA A CAUSA 8 JEITOS DE MUDAR O MUNDO

Produtora Komodo entra como apoiadora da Camapanha 8 Jeitos de Mudar o Mundo. Nossa missão? Disseminar o Projeto através de Comunicação Visual e Publicidade.

Nossa primeira missão é a produção de um VT COMERCIAL DE 30′‘, que contou com a participação de Luciano Martins e visa fomentar o movimento. O VT terá veiculação no Grupo RBS que também apoia a Camapnha através da Fundação Mauricio Sirotsky Sobrinho.

O VT foi criado a partir de desenhos feitos pelas mãos do artista plástico Luciano Martins, agregando ainda mais ludicidade às peças de comunicação da campanha. A narrativa reforça a ideia de que juntos podemos alcançar os mesmos objetivos para Santa Catarina e convida as pessoas a participarem. Cada um ajuda como pode. Participe você também. Compartilhe o vídeo em sua rede, convide os amigos. Você não tem ideia como esse pequeno gesto representa uma grande ajuda!

O mundo não anda mesmo muito bem. Todo mundo sabe, todo mundo fala. Mas o que é que nós podemos fazer para mudar isso?
Tem que começar de algum jeito. E já começou, com os 8 Jeitos de Mudar o Mundo. Acredite.
Juntos nós podemos mudar a nossa escola, a nossa rua, a nossa cidade, o nosso país.
Nós podemos, você pode.
Conjunto de ações visa melhorar a qualidade de educação, reduzir desigualdades entre gêneros, erradicar a mortalidade infantil e garantir a sustentabilidade ambiental.

Para solucionar os maiores problemas mundiais, em 2000, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu os oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs). No Brasil, os chamados Oito Jeitos de Mudar o Mundo são ações que visam melhorar a qualidade de educação, reduzir desigualdades entre gêneros, erradicar a mortalidade infantil e garantir a sustentabilidade ambiental.

O ano limite para concretizar esses objetivos é 2015 e o 4º Relatório Nacional de Acompanhamento dos ODMs traz dados sobre a realidade brasileira e as metas já alcançadas no País. O documento, desenvolvido pelo Ipea em parceria com grande parte dos ministérios, apresenta conquistas quanto a redução das desigualdades sociais, mas demonstra fragilidades que desafiam o cumprimento das metas.

O Ministério do Desenvolvimento e Combate à Fome (MDS) compilou dados para o cálculo dos indicadores da erradicação da extrema pobreza e da fome, principal objetivo estabelecido pela ONU. Nesse sentido, o governo constatou uma queda da população extremamente pobre no período de 1990-2008. Os dados indicam que a pobreza extrema, no Brasil, representa menos de um quinto da registrada em 1999, uma referência internacional.

Outra constatação do relatório, além das informações sobre as políticas de controle de doenças que contribuíram para o avanço ao combate a DSTs, Aids e doenças virais, é de que as ações de políticas sociais são inseparáveis dos objetivos do milênio. São tais políticas sociais que realizam ações concretas para reduzir as desigualdades e transformar o Brasil.

Mais um dado que merece destaque é sobre a superação das metas relativas à redução da população extremamente pobre do País. Mas o desafio de melhorar a distribuição da riqueza ainda existe. No que tange a desigualdade entre os gêneros, é preciso investir nas várias áreas onde há desigualdade entre homens e mulheres, além do campo educacional, em que é possível perceber indicadores mais positivos entre as meninas do que entre os meninos.
Conquistas

A taxa de desnutrição de crianças menores de 5 anos, no Brasil, passou dos 12,5% registrados em 2003 para 4,8% em 2008, uma queda de 62% em cinco anos. Uma das principais causas da mortalidade infantil no País é a diarreia aguda e o número de crianças que morrem em decorrência dessa doença, nesse mesmo período, caiu 51,6%. Segundo o Ministério da Saúde, isso equivale a 2.913 crianças que perderam a vida em 2003, para 1.410 em 2008.

Essas conquistas, de acordo com o governo, são atribuídas à aplicação dos programas de saúde familiar que cobrem 97,3 milhões de pessoas em condição de vulnerabilidade socioeconômica. A erradicação da fome e da pobreza foi cumprida em 2008, quando a porcentagem dos extremamente pobres caiu de 8,8% para 4,8% da população.

Sobre a meta que prevê a sustentabilidade ambiental, o Brasil a atingiu de forma parcial, já que alcançou a meta de acesso à água em áreas urbanas e se aproxima da eliminação no consumo do CFC.

Veja quais são os 8 Jeitos de Mudar o Mundo propostos pela ONU:

1. Acabar com a fome e com a miséria
2. Educação de qualidade para todos
3. Igualdade entre os sexos e valorização da mulher
4. Reduzir a mortalidade infantil
5. Melhorar a saúde das gestantes
6. Combater a Aids, a malária e outras doenças
7. Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente
8. Todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento